Fechar busca

Digite o nome do produto

Digite o nome do produto e toque em Ir ou selecione um produto da lista.
R$ 0,00

Meu Carrinho

A situação que estamos vivendo em meio à pandemia Covid-19 tem mexido de formas diversas com as pessoas e despertado diferentes sensações, entre elas a ansiedade. Afinal, há relação entre os alimentos e a ansiedade? Será que as escolhas alimentares do nosso dia a dia podem nos ajudar?

 

A nutricionista e consultora da Menu You, Nayara Macêdo, explica que a ansiedade pode levar a extremos: exageros ou perda de apetite. Ambos são preocupantes e precisam ser observados com atenção. A primeira dica que ela dá é tentar reconhecer a origem da fome, se ela é fisiológica ou emocional. “Quando a fome é fisiológica, a vontade não é seletiva por alimento específico. Um prato de arroz com feijão, legumes e carne ou mesmo uma porção de frutas será suficiente para atender ao que o corpo necessita”, destaca a nutricionista. “Já a fome emocional costuma ser seletiva por determinado alimento e eles geralmente são doces, frituras, fast food ou industrializados”.

 

A ansiedade e os excessos

 

Quando a pessoa recorre a excessos alimentares para aplacar a ansiedade, pode haver ganho de peso e, consequentemente, obesidade. Além disso, os hábitos inadequados podem ser fatores de risco para o desenvolvimento de doenças crônicas como diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares e câncer.

 

Nesses casos, é bom que a pessoa inclua em sua alimentação alimentos ricos em triptofano, entre eles, ovos, peixes, lácteos, chocolate amargo, semente de abóbora e banana. Esses são os mais indicados para o alívio dos sintomas da ansiedade.

 

Há também as fontes de vitamina C, B6 e magnésio, importantes pela produção de serotonina, hormônio responsável por proporcionar sensação de bem-estar. Esses nutrientes podem ser encontrados em frutas cítricas, frutas vermelhas, grãos, cereais integrais e abacate.

 

Na lista dos alimentos que devem ser evitados para não agravar os sintomas da ansiedade, estão aqueles que atuam no sistema nervoso central, como café, chá verde, bebidas alcoólicas, alimentos ricos em gorduras saturadas e carboidratos refinados.

 

A ansiedade e a perda do apetite

 

No outro extremo da relação entre alimentação e ansiedade está a falta de apetite, capaz de acarretar carências nutricionais importantes para a saúde e funcionamento do corpo. “Quando há percepção de falta de apetite é importante manter o consumo alimentar adequado”, alerta Nayara.

 

Segundo a nutricionista, para lidar com o exagero ou a falta de apetite causados por questões emocionais e afetivas, o ideal é que a pessoa procure apoio de médicos, nutricionistas e psicólogos para tratar a causa e restabelecer o consumo alimentar adequado.

 

Você já passou por alguma situação relacionadas a alimentos e ansiedade? Esse momento que estamos vivendo tem trazido alguma mudança nesse sentido para você? A Menu You tem entre suas linhas vários pratos com alimentos que ajudam a aplacar os sintomas da ansiedade, como explicou a nutricionista. Entre eles, temos as porções de peixes, pratos com grãos, como o minestrone ou a sopa de grão-de-bico com lombo suíno. Gosta de um docinho? Nosso bolo cremoso de cacau com calda de chocolate e bolo integral diet de cenoura com calda de chocolate são fontes de triptofano. O melhor de tudo é que você pode encomendar, receber na sua casa, esquentar e apreciar. Relaxe, alimente-se bem e espante a ansiedade!